24 de fev de 2009

Velas e isqueiros que ascendem rs

{Vita}_ST

Pois é menina sua amiga veio correndo me falar da sua deliciosa foto querendo igual, mas não fica bem, fazer algo igual tão em cima assim da sua postagem e também não tinha a mão nenhuma velinha

Além do mais sou uma pessoa bem prática, gosto de unir sempre o útil ao agradável.

Então improvisei, assim se por algum motivo tipo, um "pumracão" apagar a sua velinha, rs, basta por a Deusinha de costa pra você e acender o isqueiro, né? rssss

Será um linda cena e prazerosa a nós, Donos, com certeza, rs.

20 de fev de 2009

Praia, chuva e sexo com uma bonequinha de pano

Depois de apertar as malas, apertar as crianças, apertar os amigos delas, fomos para praia mesmo com o tempo nublado e já com um encontro marcado com um casal antes da viagem... confirmado ao chegar, nos dirigimos a um quiosque próximo ao apto, sentamos em um banco ao lado, namoramos um pouco, logo percebemos um carro procurando o quiosque e dando meia volta ao passar por ele, percebemos serem eles e esperamos eles descerem do carro para aprecia-los.
Ela, Patricia, elegante, baixinha, loira, saia preta justa e blusinha decotada, corpo bem torneado, Ele, Pedro, forte, simpático, maduro, nos apresentamos e sentamos para um bate papo, ele comunicativo, logo está a vontade, o que nos deixa também.
Falamos sobre tudo, família, filhos, empregos, amizades, um papo natural, tirando um comentário mais apimentado sobre sexo as vezes, era um encontro completamente normal entre amigos.
Ele logo repara na carinha e no sorriso safado que minha Deusa faz quando o papo esquenta e noto que sempre procura uma brecha para toca-la, na mão ou pernas, sinto que ficou entusiasmado com as feições dela.
Após algumas cervejas e refrigerantes, perguntamos as meninas se querem esticar a noite, ambas concordam com um olhar sacana entre elas e seguimos ao motel.

Chegando no motel, tivemos que pegar 02 suítes, fui a outra suíte pegar mais toalhas, ao voltar , Pedro já estava trocando cariciais com Deusa e Patricia fotografando ambos, me dispo, fico olhando um pouco, peço a digital e peço para Patricia entrar na brincadeira, mas algumas fotos e deixo a maquina de lado e puxo-a para mim, beijo-a, acariciando os seios fartos, abaixo sua cabeça para me chupar quando me deparo com uma cena até sensual , mas me da vontade de rir, minha deusinha parecia uma boneca de pano, era deusinha pra cá, deusinha pra lá, deusinha pra baixo, deusinha pra cima, sendo jogada pra e lá pra cá numa agilidade enorme pra alguém forte como ele, tudo em questão de segundos, já estava ficando tonto com esse vai e vem frenético, rs.

Volto a me concentrar na minha deliciosa companhia, Patricia, colocando-a de 4 na cama e começando a possui-la, inicialmente de forma carinhosa, estocadas ritmadas e lentas, ela começa a gemer, e começo a penetra-la com mais força e em ritmo acelerado.
Vejo Deusa sentada em cima do Pedro, e já sei que não ia durar muito, poucos são os homens que agüentam muito tempo com ela rebolando em cima deles, ele goza como previa em poucos minutos, puxo-a em nossa direção e dou-lhe um beijo.

Ela passa a acariciar e beijar Patricia que a cada minuto fica mais molhada, passo a mão por sua nuca e puxo-a pelos cabelos e penetro com mais força e rapidez , ela geme alto e gostoso sentindo as estocadas mais violentas, mudo de posição deito na cama, e peço para Patricia sentar no meu pau, puxo Deusa em direção a minha boca ela se senta nela, fico ali delirando com as duas, rebolando em cima de mim, Deusa percebe que Pedro fica alucinado com a cena e volta a acaricia-lo e beija-lo sem sair de cima da minha boca.

Mudo Deusa de posição, ainda sentada no meu rosto, coloco ela de frente para Patricia, para que possa toca-la e se beijarem, e assim ficamos por mais algum tempo, mas o casal de amigos precisava ir embora, resolvemos ficar mais um pouco, como o carro estava na outra suíte resolvemos ir para o outro quarto atravessando o pátio do motel só de toalhas, após muita insistência com os 5 minutos de timidez da Deusa que queria porque queria por roupa, só pra mudar de quarto, como é tímida essa menina, rs.

Terminamos a noite como de costume, vivendo a vida e gozando da forma que mais amamos, um nos braços do outro.

19 de fev de 2009

Orgias - Luís Fernando Veríssimo


Mulam Bento, arquivista: "Eu sou masoquista e minha mulher é sádica, mas o que estraga o nosso relacionamento é o ciúme. Quando eu chego em casa com uma mancha vermelha na camisa, preciso jurar que não é sangue, é batom, senão ela tem um ataque histérico e, como castigo, não me bate."


Mara Zul, nutricionista e vidente: "Usar o sexo só para reprodução é como só sair com o carro para levar na oficina."



Merlusa Cavalcante, socialaite: "Acho que fui uma adolescente normal. Minhas fantasias sexuais eram com estrelas do cinema. Lembro que as paredes do meu quarto eram cobertas de fotografias de atores e eu me imaginava transando com todos eles... Rin Tin Tin, King Kong, o cavalo do Roy Rogers..."



Retirado do Blog Degusta do "casalqseama", que consta nos blogs que acompanho

17 de fev de 2009

O que é necessário pra ser feliz?

O que é necessário pra ser feliz?

Penso que ser feliz são momentos, é a soma de todos os momentos que passamos nos últimos dias ou meses de nossas vidas.
A realização dos sonhos, aqueles que desejamos de verdade sendo realizados e vividos ao poucos.
A soma do que fazemos, do que buscamos, das nossas decisões feitas com o coração, sem contudo, sem serem feitas as cegas ou por impulsos, feitas com o coração mas com a mente sã.

É ter consciência que nossa felicidade passa exclusivamente por nossas decisões e os caminhos que escolhemos trilhar, por nossas atitudes perante a vida e por respeitar antes de tudo a nós mesmos.

Afinal... o que é necessário pra ser feliz?

Para mim basta
alguns amigos sinceros
algumas amigas safadas
um amor cúmplice
a alma em liberdade
a mente povoada de fantasias
uma brisa sobre a cabeça
paz no coração
estar com o espirito leve
e o corpo ardendo de prazer.

Ando muito feliz.

Palavras ditas pela alma de um artista "mudo"


Quando me amei de verdade,
comecei a perceber como é ofensivo tentar forçar alguma situação
ou alguém apenas para realizar aquilo que desejo,
mesmo sabendo que não é o momento
ou a pessoa não está preparada,
inclusive eu mesmo.
Hoje sei que o nome disso é... Respeito.
Charles Chaplin

8 de fev de 2009

Indefinições de finais de relações


É muito comum ao término de uma relação uma das partes, cuspir no prato que se comeu, sempre achei isso um pouco estranho, mas até entendo, que encarar um final de um relacionamento é difícil, principalmente quando existia nele muito sentimento e muita intensidade, mas acontece principalmente quando o interesse termina apenas de uma parte.

Quase sempre as pessoas ficam buscando culpados, motivos, desmerecendo tudo que existiu, principalmente a outra parte... o que era bom, não já é mais, a pessoa que era especial, perdeu seu valor, o sexo alucinante virou mais ou menos, morno, sem sal.

As pessoas às vezes se esquecem que as relações às vezes terminam por suas próprias limitações como pessoas que fazem de um relacionamento especial, se tornar em algo maçante, cheio de cobranças, que não da mais o mesmo prazer e tudo que foi construído se perde em meio as intermináveis discussões.

Tenho como costume, não ficar em relacionamento que não me faz mais feliz em sua plenitude, pois antes de tudo preciso de paz de espírito e mesmo amando, se tiver que tomar uma decisão de partir o faço sem pestanejar, pois, tenho os meus princípios, e o principal deles é, eu estar feliz e em paz, o amor, o prazer, o desejo sempre ficará em segundo plano, para mim é impossível amar, sem estar feliz e em paz em uma relação, já que sou transparente e intenso e não saberei fingir que está tudo bem.

Se não estou feliz, só a uma única saída, o termino da relação, não importa se irei sofrer com o rompimento e desejo sempre que a outra parte faça o mesmo, me sentiria muito mal, alguém ficando comigo e sendo infeliz ou incompleta ao meu lado

O mais comum quando alguém cospe no prato que comeu é por em dúvidas até o caráter da pessoa, suas escolhas, suas atitudes, até o tesão que ela proporcionava, a pessoa que antes era alguém que tinha muitas qualidades, já não as tem mais e se essa pessoa se envolver ou estiver envolvida com outra, essa outra, será julgada em todos os aspectos, seja de caráter, personalidade, conteúdo, postura, etc.

Não sei se quem julga outra pessoa de forma imparcial tem o caráter tão ilibado assim, mas quem sou eu pra julgar alguém, sou humano, erro, tenho meus defeitos e eles são muitos, mas um jamais terei de cuspir no prato que comi.

Sejam por quais forem os motivos do término de minhas relações, jamais irei menosprezar tudo que vivi com essa pessoa, todos os momentos bons continuaram sendo especiais, os ruins esquecidos, todas as qualidades que me fizeram viver com essa pessoa por um período continuaram sendo qualidades admiráveis, não consigo desmerecer pessoas que me deram muito prazer, carinho e amizade, não faz parte do meu perfil isso.

Sempre gostei de manter uma amizade pelo menos saudável com relacionamentos antigos, sejam eles curtos ou não, intensos ou não, sejam baseados em sentimentos com amor ou não.

Sempre pensei que relações terminam porque tem que terminar mesmo, teve seu tempo, seus momentos de gloria e prazer e manter uma relação não é fácil. Muitas vezes elas terminam por defeitos nossos mesmo, ou por não poder, por um histórico de vida e de personalidade, dar o que a outra pessoa deseja, nem só de caráter, conteúdo, amor e prazer se construí uma relação, é necessário também sentir as necessidades da outra pessoa, romper com certos sentimentos que destroem uma relação como o ciúme, por exemplo.

Nunca prometa a outra pessoa o que não se pode dar, existem sentimentos dentro de nós de uma vivência de anos, que não se vencem de um dia pra noite é preciso ter ciência e consciência disso, ante de querer se envolver em uma relação, ainda mais uma relação BDSM.

Nas minhas relações posso cometer muitos erros, mas de uma coisa ninguém pode reclamar, não escondo quando entro em uma relação a minha essência de puto, e que não mudo porque me amam ou porque to amando, isso deixo sempre bem claro, sou e serei sempre um puto com muito orgulho, se o preço para amar e ser amado for ter que mudar minha essência, meu conteúdo, eu não pago, o amor pra mim não tem preço, não dou fidelidade para meus relacionamentos baunilhas ou exclusividades para escravas.

Fidelidade no meu dicionário não existe não no sentido exato da palavra, fidelidade pra mim se resume à lealdade, lealdade com minha essência, e isso deixo sempre bem claro.

Quer me amar? Terá que pagar o preço, pois eu não pago, lamento.

Se o preço pra ser amado e amar, é um amor sem liberdade, é perder sua essência, se anular ou se submeter a sentimentos mesquinhos eu não pago.

Hoje vivo um amor livre, leve, sem cobranças, sem fidelidade mas com lealdade, mas isso será melhor explicado no tópico de um ano de coleira em breve.

Comum também uma das partes sempre dizer que fez tudo pelo outro, como se só ela tivesse se doado, se entregado, acaba parecendo que sempre foi uma relação de mão única que não existiu doação da outra parte.

Mas fazer o que, esse sou eu, as pessoas são diferentes, reagem diferente a mesma situação, mas nem por isso mudarei meu modo de pensar, cada pessoa que passou pela minha vida, são pessoas que serão lembradas com carinho e afeição, se o sentimento da outra parte não for o mesmo, resta-me viver feliz e seguir minha vida como estou fazendo e vivendo, afinal a vida pra mim se resume a um passado ao lado de pessoas que me trazem lembranças boas, as lembranças ruins deixo de lado, um presente maravilhoso, intenso e cheio de vida e um futuro de sonhos.


"A inveja é a paixão que vê com maligno desgosto a superioridade dos que realmente têm direito a toda a superioridade que possuem." (Adam Smith)

3 de fev de 2009

Simplesmente vivendo

As vezes vejo familiares ou amigos se matando para ter uma casa maior, um carro novo ou para comprar roupas de marcas. Fico pensando que devo ter nascido em época errada ou os valores de hoje não combinam com os meus.
Para mim a casa perfeita é aquela em que se sentimos aconchegados, independente do tamanho dela, carro é meio de transporte e não de status, roupas, olho, gosto e compro, se é da griffe jacu modas não importa, me sentindo bem nela é que faz a diferença.
Não sei se as pessoas perderam o sabor em serem felizes sem possuir bens materiais a qualquer custo ou se eu não sou ambicioso o suficiente.
Não preciso muito para ser feliz, aliás a felicidade pra mim sempre esteve nas coisas simples da vida, em momentos e dias como o abaixo:
Paro o carro, minha loira entra, dirijo em direção a uma praça e estaciono. Trocamos alguns beijos, abraços, carinhos, risadas e conversas amenas, saímos do carro, ela encosta na lateral dele, deito sobre ela, e ficamos ali minutos, trocando mais beijos e carinhos, abraçados e conversando simplesmente.
Decidimos andar pela praça, pego sua mão e vamos curtindo o lindo dia de sol.
Avistamos um bar, decidimos tomar algo, bar lotado de jovens e lindas universitárias indo e vindo, assim fica meu olhar, difícil se fixar em uma tamanha variedade de beleza.
Me perco em meus pensamentos, vendo o vestir das meninas de hoje e penso em quando chegar a hora de acertar minhas contas no paraíso, não esquecer de perguntar quem foi o grande filha da puta que me botou nesse mundo duas décadas antes do que deveria ter feito, quem é da minha época sabe bem do que to falando, rs.


De repente, com um beliscão e um... tá gostando daqui safado, volto a realidade, rs.

De volta a praça, hora de ir embora, vontade imensa de ficar ali, curtindo esse dia delicioso.

Dia??? foi apenas um pouco mais de uma hora, mas valeu por um dia, se a vida é feita de momentos, são nesses momentos simples ao lado de uma pessoa especial , divertida e leve, que me sinto extremamente feliz e realizado, como pessoa, homem e ser humano.