28 de mai de 2009

Amor e sexo

Para quem não conhece esta é a cronica de Arnaldo Jabor que inspirou a música "amor e sexo" da Rita Lee e Roberto Carvalho.

Amor é propriedade. Sexo é posse. Amor é a lei; sexo é invasão.

O amor é uma construção do desejo. Sexo não depende de nosso desejo; nosso desejo é que é tomado por ele. Ninguém se masturba por amor. Ninguém sofre com tesão. Amor e sexo, são como a palavra farmakon em grego: remédio ou veneno - depende da quantidade ingerida.

O sexo vem antes. O amor vem depois. No amor, perdemos a cabeça, deliberadamente. No sexo, a cabeça nos perde. O amor precisa do pensamento. No sexo, o pensamento atrapalha.

O amor sonha com uma grande redenção. O sexo sonha com proibições; não há fantasias permitidas. O amor é o desejo de atingir a plenitude. Sexo é a vontade de se satisfazer com a finitude. O amor vive da impossibilidade - nunca é totalmente satisfatório. O sexo pode ser, dependendo da posição adotada. O amor pode atrapalhar o sexo. Já o contrário não acontece. Existe amor com sexo, claro, mas nunca gozam juntos.

O amor é mais narcisista, mesmo entrega, na 'doação'. Sexo é mais democrático, mesmo vivendo do egoísmo. Amor é um texto. Sexo é um esporte. Amor não exige a presença do 'outro'. O sexo, mesmo solitário, precisa de uma 'mãozinha'. Certos amores nem precisam de parceiro; florescem até na maior solidão e na saudade. Sexo, não - é mais realista. Nesse sentido, amor é uma busca de ilusão. Sexo é uma bruta vontade de verdade. O amor vem de dentro, o sexo vem de fora. O amor vem de nós. O sexo vem dos outros. 'O sexo é uma selva de epilépticos' (N. Rodrigues). O amor inventou a alma, a moral. O sexo inventou a moral também, mas do lado de fora de sua jaula, onde ele ruge.


O amor tem algo de ridículo, de patético, principalmente nas grandes paixões. O sexo é mais quieto, como um caubói - quando acaba a valentia, ele vem e come. Eles dizem: 'Faça amor, não faça a guerra'. Sexo quer guerra.

O ódio mata o amor, mas o ódio pode acender o sexo. Amor é egoísta; sexo é altruísta. O amor quer superar a morte. No sexo, a morte está ali, nas bocas. O amor fala muito. O sexo grita, geme, ruge, mas não se explica.

O sexo sempre existiu - das cavernas do paraíso até as 'saunas relax for men'. Por outro lado, o amor foi inventado pelos poetas provençais do século XII e, depois, relançado pelo cinema americano da moral cristã.

Amor é literatura. Sexo é cinema. Amor é prosa; sexo é poesia. Amor é mulher; sexo é homem - o casamento perfeito é do travesti consigo mesmo. O amor domado protege a produção; sexo selvagem é uma ameaça ao bom funcionamento do mercado. Por isso, a única maneira de controlá-lo é programá-lo, como faz a indústria da sacanagem. O mercado programa nossas fantasias.

Não há 'saunas relax' para o amor, onde o sujeito entre e se apaixone. No entanto, em todo bordel, finge-se um 'amorzinho' para iniciar. O amor virou um estímulo para o sexo.

O problema do amor é que dura muito, já o sexo dura pouco. Amor busca uma certa 'grandeza'. O sexo é mais embaixo. O perigo do sexo é que você pode se apaixonar. O perigo do amor é virar amizade. Com camisinha, há
'sexo seguro', mas não há camisinha para o amor.

O amor sonha com a pureza. Sexo precisa do pecado. Amor é a lei. Sexo é a transgressão. Amor é o sonho dos solteiros. Sexo, o sonho dos casados.

Amor precisa do medo, do desassossego. Sexo precisa da novidade, da surpresa. O grande amor só se sente na perda. O grande sexo sente-se na tomada de poder. Amor é de direita. Sexo, de esquerda - ou não, dependendo do momento político. Atualmente, sexo é de direita. Nos anos 60, era o contrário. Sexo era revolucionário e o amor era careta.


25 de mai de 2009

Apenas Joseph Klimber

É antigo mas vale a pena recordar

20 de mai de 2009

Mudanças x Cumplicidade


Ainda estou preparando um texto sobre mudanças, ou mais especificamente sobre as mudanças internas ocorridas em meu Ser nesses últimos meses.

Mudei muito meu modo de pensar, minhas atitudes mudaram e sem perder minha essência, ela também mudou.

Passei a ver e viver minhas fantasias de outro modo, com outros olhos, com um ingrediente a mais; cumplicidade verdadeira e irrestrita da mulher que amo.

Talvez esteja ai o motivo de tanta mudança, sempre sonhei em ter alguém ao meu lado, que fosse cúmplice de todos meus devaneios e me deixasse ser dos seus, mas nem todo mundo sabe o que significa ser cúmplice, cumplicidade não é apenas levar mais uma pessoa pra sua cama é algo muito além, participar de um ménage, swing ou dividir com a pessoa amada qualquer fantasia do tipo, é apenas a realização de uma fantasia, para um casal ter e viver a verdadeira cumplicidade se exige mais, ela é vivida mais com a alma e o coração do que com o corpo.

Talvez os amigos não percebam, mas eu mudei, sem mudar, RS, continuo safado, puto, cheios de fantasias, continuo guloso desejando ter na cama outras mulheres ou duas, três, RS.

Mas então o que mudou?

O que mudou é que seja lá o que deseje fazer ou viver, só me vejo vivendo com a cumplicidade ou ao lado da pessoa que amo, isso está cada dia mais perceptível em mim.

Os nossos momentos de cumplicidade são únicos, inesquecíveis, inexplicáveis, intensos e inimagináveis, o que para muitos não passa de putaria, para nós é algo muito além

Ser cúmplice da pessoa amada não é fácil, já me decepcionei, e principalmente magoei várias vezes por acreditar que as pessoas entendiam o verdadeiro significado desta palavra, mas no fundo não entendiam, queriam apenas viver fantasias ao lado do homem amado, mas sem perder diversos sentimentos como, posse, ciúmes, competição, disputa, etc, eram apenas momentos carnais e não feitos com alma e a mente livre.

Sempre fui transparente, nunca omiti que não dou exclusividade sexual, tenho sede de viver, de experimentar, de viver minhas fantasias, de saciar meus desejos, independente de estar amando ou de ser amado. Consigo apenas ser leal, a exclusividade sexual não está no meu sangue, mas se for recíproco, lealdade e cumplicidade correm em abundancia nas minhas veias.

Acabei mudando o que ia escrever, RS, mas como disse no inicio o texto sobre mudanças ainda está por vir, esperando algumas mudanças mais em nossas vidas para poder escrevê-lo.

17 de mai de 2009

Desejos e sonhos


Desejos e sonhos...


Te desejo...
E te desejando...
Te tenho...
Em sonhos....
Devaneios...
Lembranças...
E ate na esperança...
Te quero ...
E te querendo...
Meu coração esquece ...
Que são sonhos...
E se aquece...
Neste amor ...
Te amo...
E te amando..
Sigo sonhando...
Fantasiando...
Pura magia...

Angela Poesia

11 de mai de 2009

Presente do dia das mães para minha Deusinha


Um certo sábado meses atrás, combinamos de fazer nossa primeira festinha com dois rapazes, fomos ao encontro do primeiro no estacionamento de um hipermercado, aonde, o mesmo nos levaria no carro dele até a casa do amigo.

Sentei no banco de trás deixando minha Deusinha no banco da frente, para que se sentisse mais a vontade ao lado do rapaz, logo que saimos ele começa alisar suas coxas, não demoro e coloco o pau pra fora da calça e começo a me masturbar, ele vendo faz o mesmo, ela fica encabulada e vermelha de vergonha, como sempre, rs, mas depois de um pequeno pedido dele, ela começa a acariciar seu pau, foi quando passamos por um andaime e o rapaz que estava em cima dele viu a cena e quase caiu de uma altura de uns 3 metros, rs, detalhe eram por volta das 1500 h do sábado, rua lotada de pessoas, carros e ônibus e o carro passeando por elas bem devagar.

Chegamos ao local marcado e esperamos o outro rapaz, logo ele chega de moto e assim nos deslocamos ate sua casa, ele na sua moto e nós no carro seguindo-o.

Ao chegar próximo a casa do rapaz, tomamos um susto, assim que ele para em frente a sua casa, cai da moto, pensamos ser pela ansiedade do encontro, mas ao chegar na casa, vimos o motivo... o pai dele na garagem esperando-o, rss.

Decepção geral e muitos pedidos de desculpas e promessas de marcar novamente e assim voltamos pra casa.

Notei pelo olhar que minha Deusa ficou com desejos por esse segundo rapaz, então nesse sábado, vespera do dia das mães, resolvi lhe fazer uma surpresa e dar um presente especial para essa jovem Senhora, rssss.

Pelas fotos acho que ela gostou do presente, não acham???? rs.










6 de mai de 2009

Simplesmente Fernando Pessoa


"É fácil trocar as palavras,
Difícil é interpretar os silêncios!
É fácil caminhar lado a lado,
Difícil é saber como se encontrar!

É fácil beijar o rosto,
Difícil é chegar ao coração!
É fácil apertar as mãos,
Difícil é reter o calor!

É fácil sentir o amor,
Difícil é conter sua torrente!
Como é por dentro outra pessoa?

Quem é que o saberá sonhar?
A alma de outrem é outro universo
Com que não há comunicação possível,
Com que não há verdadeiro entendimento.

Nada sabemos da alma
Senão da nossa;
As dos outros são olhares,
São gestos, são palavras,
Com a suposição
De qualquer semelhança no fundo."

Fernando Pessoa