27 de nov de 2008

Sessão da tarde - Filme: Uma Deusa em apuros


Encontro marcado, a busco no metrô, ela vem apropriada para ocasião, um vestido preto de alça, decotado de ambos os lados, bem leve e solto, fácil de tirar ou levantar.

No carro diferente de outros dias, me beija timidamente, está mais calada, ansiosa e nervosa, vejo em seu olhar um pouco de insegurança, ela com certeza já estava imaginando mil situações, seguimos ao nosso destino.

Pela primeira vez em um ano juntos vejo medo, apreensão e receio em seus olhos... o coração sádico sorri.

Chegamos ao estacionamento, ordeno que tire a calcinha.
- Dono deixa ir com ela, não quero ir sem.... tire a calcinha....repito, ela ainda contrariada retira.
Saímos do carro, ela com uma bolsinha na mão e celular na outra, dou uma gargalhada e mando retornar ao carro e deixar tudo lá, não haveria como cuidar dessas coisas aonde iríamos, ela ainda nervosa, volta e deixa tudo no carro, seguro em sua mão gelada e seguimos em direção ao nosso destino, Cine Arouche.
Em frente ao cinema 5 ou 6 rapazes, ela fica vermelha, passamos por eles, olhamos o cine, ele está em reforma e em mau estado de conservação, passamos em frente e vamos até esquina, pergunto se está pronta, ela respira fundo e diz que sim, dou-lhe um beijo e voltamos.
Pergunto a um homem se o cine esta funcionando, ele responde que sim, compro os ingressos enquanto ela se esconde embaixo de um óculos escuros, rs.
Todos olham nossa entrada, mas não eram clientes e sim o pessoal que fazia a reforma, levo ela pra conhecer o ambiente e exibi-la, fico meio desapontado, apenas 2 homens pelo local.
Paramos na porta de uma das salas aonde passava um filme gay, assistimos por uns instantes, enquanto levanto seu vestido, deixando sua bunda a mostra aos presentes que se posicionaram atrás de nós.
Ela tenta abaixar o vestido ainda tímida, impeço e dou-lhe um beijo, enquanto aliso sua bunda branca que se destacava no ambiente quase escuro.
Saímos de lá e vamos a outra sala, lá mais dois homens, ficamos no meio do corredor, olhando um pouco o filme, digo-lhe algo ao ouvido, e começo a beija-la com mais vontade, ela vai se soltando, mas ainda travada, mordo-lhe o pescoço, a orelha, a boca, ela começa a gemer e logo se forma uma roda em nossa volta.
As caricias aumentam, levanto todo seu vestido, enfio dois dedos nela, tiro um dos seios pra fora chupo com vontade e vejo que ao lado dois começaram a se masturbar.
Puxo-a em direção a parede, abro o zíper, pego ela pelos cabelos e levo sua boca em direção ao meu pau, ela me chupa loucamente, com mais força que o normal, forma-se uma roda em volta e após alguns minutos a levanto e beijo com muito desejo, levanto seu vestido, deixando a bunda dela a mostra novamente, sinto primeiras mãos disputando a bunda dela comigo, ela olha desconfiada, tira mão deles, volto a beija-la segurando-a com força, impedindo que ela retire a mãos deles.
Ela em minutos se entrega, já não liga para as caricias dos outros, são duas ou três mãos , apertando sua bunda, passando a mão no rego, querendo penetra-la, afasto os mais afoitos, que já queriam encostar e penetra-la, digo que não encostem é apenas pra usarem a mão, eles se afastam e voltam novamente a bolina-la.
Retiro seus seios pra fora, mal tenho tempo de chupa-los, mãos vão devorando-os, são apertos, pegadas, beliscões, viro ela um pouco, ofereço eles a boca de um deles.
Ela ali em meus braços, começa a gemer, enfio a mão na sua buceta, está melada, sinto um dedo dentro dela , mas não dava pra identificar a quem pertencia, ela já não estava mais travada gemia cada vez mais alto, ali em meus braços e no meio de 5 ou 6 homens.
Não via ninguém que pudesse ir mais além, alguns velhos, outros mau arrumados, nada me agradava, mas minutos depois se aproxima uma rapaz, aproximadamente 25 anos, alto, bem vestido, tipo universitário e bem apessoado, ele não demora e começa a acaricia-la, vindo direto aos seios, sugando com vontade.
Noto que ela olha e se mostra receptiva, ponho a mão na cabeça dele e forço pra baixo, levando-o em direção a buceta, pego uma perna dela ponho no ombro dele, ele literalmente devora a buceta dela, ela geme alto, não se ouvia mais nada, apenas os gemidos dela cada vez mais alto.
Enquanto ele a chupa, procuro um lugar em seu corpo para por a mão, mas não havia, uma mão apertando sua na bunda do lado esquerdo, outro com um dedo enfiado no seu cuzinho, enquanto outro apertava a outra parte da bunda e chupava um dos seios e a buceta enfiada na cara do rapaz, que a chupava cada vez com mais gana, restava apenas beija-la, abafando seus gritos e gemidos.

Fico sabendo depois que ele estava chupando um halls e enfiou na buceta dela antes de começar a chupa-la.
Por duas vezes ela goza na boca dele, soltando urros e gemidos altos, a coisa começa esquentar, preciso falar mais alto e afastar uns dois mais afoitos.
Ele aproveita em um gesto rápido e a puxa pela cintura e a tira do meio de todos, encostado-se dois passos ao lado na parede, ele a abraça e a beija.
Me deparo vendo um linda e deliciosa cena....

Seus cabelos longos loiros soltos, a meia luz se sobressaindo na escuridão, ela empinada e envergada de encontro ao corpo dele, beijando-o longamente, enquanto era alisada por mãos ávidas, olho por instantes, ela para de beija-lo e procura meu olhar de aprovação, faço sinal pra prosseguir espero mais um pouco e encosto por de trás dela.
Ela feito uma vadia se reveza em nossas bocas, tento penetra-la mas não consigo, ele a tem envergada no seu corpo, falo ao seu ouvido para que ela se vire, coloco a mão em sua buceta, nunca tinha visto tão encharcada, de tão melada que estava, pingava literalmente.
Abro suas pernas e a penetro, enquanto ele a beija e acaricia seu seios junto com outros.
Eu e ele dividimos a boca dela e o pescoço no alternando em ambos, por minutos fico ali fudendo-a enquanto ela é devorada por várias mãos e a boca do rapaz.
Novamente o clima de tesão e luxuria faz o ambiente esquentar, digo ao ouvido pra se despedir do rapaz... ela vira e o beija e agradece, abaixo seu vestido, digo a todos que a brincadeira acabou e saímos sem olhar pra trás.
Paramos para comer algo na padaria ao lado, olho em seus olhos, vejo uma mistura linda de timidez e tesão, um olhar diferente de todos os outros dias, rimos bastante conversamos sobre o ocorrido, percebemos que um dos que estavam la dentro nos seguiu e ficou nos rodando, não damos bola e continuamos a conversar e rir da deliciosa loucura.
Fico desejando come-la ali mesmo, em público em cima da mesa tamanha era a excitação de ambos.
Voltamos ao estacionamento já programando nossa próxima visita ao cinema, desta vez com um casal de amigos que não puderam comparecer, mas essa parte fica para o próximo relato, rs.
Rita Lee - Fraga

No escurinho do cinema
Chupando drops de anis
Longe de qualquer problema
Perto de um final feliz

Se a Deborah Kerr que o Gregory Peck
Não vou bancar o santinho
Minha garota é Mae West
Eu sou o Sheik Valentino

Mas de repente o filme pifou
E a turma toda logo vaiou
Acenderam as luzes, cruzes!
Que flagra!
Que flagra!

11 comentários:

Lua disse...

DONO...

Mais uma vez um belo e excitante post, como já era de se esperar, mas este se torna muito mais especial, por se tratar de algo assim..secreto e explícito excitante, cheio de tesão em cada vírgula em cada suspiro e gemido,em cada olhar, em cada toque, em cada sensação.

Uma sessão assim no cinema, com certeza ficará guardada e sempre lembrada...como um dos melhores filmes já vistos...arrisco até dizer......O MELHOR FILME JÁ VISTO!!!

beijos com saudades dos DONOS...
lua_Sr.Kleiton e Deusa_KL

{ÍsisdoEgito}JZ disse...

Amei.....e sei bem qual foi a sensação de "completamente desnorteada" que ela sentiu após sair do escurinho do cinema.....rsrsrsrsrsrs....

E não sei porque, mas acho que da proxima vez, esses amigos irão comparecer, kkkkk.

Delicia, né????

{ÍsisdoEgito}JZ

Deusa_Kl disse...

Meu Dono

Medo..e como tive medo. O desconhecido nunca me assustou..Mas dessa vez me apavorou!
Mas quero escrever sobre as sensações que passei..
Me senti revirada de ponta de cabeça..
Fechar os olhos e se entregar ao momento..sem ver rostos..apenas sentir os toques.
Deixar ser invadida..tocada por várias mãos..delirar..se sentir segura e protegida por aquele
que é seu companheiro nesta jornada nova..
Ali tive tudo..o dominio do Dono ao me segurar..a força do homem ao entregar a sua deusa em outros braços.
Ver o brilho do seu olhar..os nossos olhos se cruzando e explodirem de felicidade pela loucura mais sana que estavamos comentendo.
Nunca mais me esquecerei..
A cada dia um caminho e uma nova sensação..O prazer em plena tarde de uma terça_feira..careegada de emoções sentimentos.
A gostosa sensação de estar vivo..e poder usufruir tudo aquilo que a vida nos proporciona e nos proporcionará.
Uma tarde inesquecivel..cinema sem pipoca..a padaria como cumplice de nossas confissões do fato ocorrido..seguimos depois aos nossos compromissos..juntos relembrando cada detalhe e a louca sede de nos tocarmos qdo finalmente chegamos ao motel.

Seguro a sua mão, com força
Com ternura
Os olhos brilham
E o corpo...
Estremece
Mal consegue respirar
A adrenalina sobe
E o coração...
Bate, desordenadamente
Não consigo controlar a emoção
Daquele momento...
Há muito esperado
Finalmente o encontro
Que sempre sonhara
O roçar das mãos
Dos corpos
Que se entrelaçam
Depois os lábios tocam-se...
Num beijo profundo
De paixão ardente
Momentos inesquecíveis

Meu Dono

Amo-te

Vampira Olímpia disse...

Cine Paradiso: Deu a Louca nos Deuses

HAHAHAHAHAHAHAHA

Muito bom! Eu tenho vontade de fazer algo assim numa biblioteca... onde o silêncio é GRITANTE e as pobres almas vão pra lá com outra intenção da qual jamais será estudar anatomia humana HAHAHAHA.

A surpresa é sempre a alma do negócio... um dia, quem sabe né? rs

hihihihihi
beijooooooooooooooooooooos

Duda disse...

Meu queridão, pra lá de feliz de ver meu blog entre seus blogs favoritos, entre seus passos rsrsrs.

Carambaaaaaaaaaaaaa! Queria ter visto esse filme hehehehe.
Sentaria na primeira fileira, grudada na telona, babando nas cenas hihihihihi.

Bom final de semana procês!

*bjos*

{desirre}_DM disse...

Uiiii... Esquentou aqui, não sei porquê...:D

Bjs.

{desirre}_DM disse...

Ah, faltou dizer... Advinha que blog vai pros meus favoritos??? :P

Bjss...

K disse...

Sr. Kleiton

Adorei fazer parte dos teus blogs deliciosos de ler... Hehehe

Nossa, aventura altamente excitante no escurinho do cinema... O desconhecido sempre assusta mas a presença do Dono assegura proteção necessária!

Bjus respeitosos,

K

Drika Chapper disse...

q calor de repente....
rs

Jun Zurik disse...

Kkkkkkk....esse cine não devia cobrar ingressos de determinados frequentadores e sim ("nos") pagar cachê....
Parabéns ao delicioso relato, desse escurinho q pro-mete novas estorinhas, rssss.
Abração!

ametista disse...

Aff...meus sais...rsrs
Lindo relato, linda a entrega, lindo o amor que permite viver isso tudo...
parabéns, muito bom mesmo...
bjus
viu eu vim e deixei recadinho...rs